domingo, 27 de janeiro de 2013

Santidade e poder começam em casa


"Se sua fé não funciona em casa, não a pregue para o mundo." - Howard Hendricks
Acredito que o que acontece dentro das quatro paredes da sua casa, determina o quanto você influencia as pessoas que estão do lado de fora dela. Se você deseja vida íntegra, ousada e saudável, que faça diferença na vida de outras pessoas, o melhor lugar para começar a vivê-la é dentro da sua casa.

Não há melhor lugar para praticar o amor do que o lar. O melhor lugar para aprender a perdoar, conviver com diferenças, ser autêntico, e demonstrar os frutos do Espírito Santo é o lar.
 A fé pública será sempre inoperante e anêmica quando for disfuncional dentro do lar. 
O ministério nunca será longo e efetivo sem o aval da família. Sem o respeito e apoio familiar fracassaremos.


O amor não é amor até que ceda.
 Não ceder é sinal de orgulho. "O orgulho vem antes do fracasso e a altivez de espírito precede a queda" (Provérbios 16.18). O primeiro sinal de orgulho é o silêncio. O silêncio é o pior monstro que assombra a família. Ele cresce ainda mais rápido do que nossos filhos. Ocupa primeiro o coração, em seguida o lar e depois toda a família. 
O silêncio acaba com o diálogo e torna a reconciliação cada vez mais difícil.
O silêncio também é ira. "O bater do leite produz manteiga, o espremer do nariz produz sangue; assim o forçar da ira produz contenda" (Provérbios 30.33).
Existe um silêncio benéfico - silenciar diante do nervosismo do outro, para não colocar mais fogo na fervura. Janice minha esposa é mestra nesse tipo de silêncio. Seria impossível escrever a história da minha vida sem mencionar Janice. Como testemunhar minhas vitórias sem ela. Janice é uma carta de amor viva que Deus escreveu direto para mim.
 O seu modo de ser me faz lembrar que ser um marido, um pai e um amigo não é trabalho - é minha vida e um prazer.
Juntos, aprendemos a perdoar, a rir de nós mesmos, e a voltar aos princípios que nos fazem felizes - amor, oração, perdão, diálogo, ceder, fidelidade, reconhecer erros, praticar a Palavra e honrar um ao outro. Não importa o que aconteça, podemos superar os problemas. As lutas não aparecem para nos destruir, mas para tornar o nosso amor cada vez mais maduro e forte.
Pregar não é o meu primeiro ministério. Não me entenda mal; Deus tem me usado para restaurar e transformar pessoas. Pregar é minha vocação, meu chamado. Meu primeiro ministério é amar minha esposa e meus filhos. Cuidar deles, fazê-los felizes, prover suas necessidades, liderar suas vidas para que eles se tornem melhores, jogar bola com meus filhos, dar risadas ao redor da mesa, ajudá-los a corrigir seus erros e a amadurecer, escutar suas queixas, aconselhá-los quando estão indecisos. Ser marido, pai e amigo é o meu primeiro ministério. Pregar e ministrar vem em segundo lugar, em primeiro lugar está a minha família. Nada é mais importante do que minha família.
Silmar Coelho é pastor; doutor em teologia.

Um comentário:

  1. Ao visitar alguns blogs me deparei com o seu, e quero dar-lhe os parabéns por partilhar o seu saber, gostei por isso deixo aqui um convite:
    Ficaria radiante se visita-se o meu blog, e leia alguma coisa, meu blog é um blog cristão que fala de diversos assuntos.
    É o Peregrino E Servo.
    Desejo muita paz e saúde.
    http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

    ResponderExcluir