sexta-feira, 28 de maio de 2010

Testemunho de Perdão e Reconciliação


PERDÃO
Humanamente falando é impossível perdoar.

Mas eu falei para Deus:
“Estou disposta a perdoar.

Você precisa me ajudar. Você precisa

fazer esta obra em mim”.








Laurie e Steve Ruggerio - Programa 217



Laurie e Steve e Ruggerio: A chave para a restauração é o perdão.



Laurie:
Eu sei que muitas pessoas acham que a esposa sabe, mas realmente eu
não sabia. Ele era muito paquerador e galanteador, mas ele sempre
conseguia contornar a situação.
Clube 700:
Por quatro anos o marido de Laurie Ruggerio viveu uma vida dupla. Em
casa ele fazia o papel de “marido provedor”. Em festas, e como
militar na estrada o seu comportamento era outro.
Steve:
Eu não estabelecia limites. Eu andava com muita gente solteira.
Todos procuravam mulheres, e lá estava eu. Eu comecei a pensar:
“Quer saber de uma coisa? Eu vou fundo nessa”. Não tinha nada para
me segurar, entende? Nem mesmo o medo de ser flagrado.
Clube 700:
Steve e Laurie começaram a namorar no 2º grau no colégio, e
freqüentaram muitos ambientes de festas. Esse estilo de vida livre
continuou por alguns anos após o seu casamento até o nascimento de
seu primeiro filho.
Laurie:
Eu cresci imediatamente. Ter um bebê faz com que você amadureça.
Infelizmente não teve o mesmo efeito para Steve.
Steve:
Eu não vi isso como algo que diminuísse o meu ritmo, e não ia deixar
isso acontecer porque eu era o centro do meu mundo. Era divertido e
eu queria me divertir. E mesmo adorando ficar sentado, falando e
brincando com nosso bebê, os meus amigos ainda me ligavam e diziam:
“Hei! Nós vamos sair hoje. Você vem conosco?”.
Clube 700:
Steve não conseguia resistir. E ele saía com os amigos semana após
semana.
Laurie:
Foi um tempo muito, muito difícil. Foi durante esse período que
comecei a buscar ao Senhor. Voltei para os caminhos dele. Eu buscava
uma orientação de como criar minha filha. Comecei a freqüentar uma
igreja. De vez em quando, Steve ia ao culto comigo no domingo, porém
éramos os primeiros a ir embora após o término.
Clube 700:
Laurie estava infeliz com a escolha do marido, de preferir uma vida
de festas ao invés da responsabilidade como pai. Isso resultou num
ciclo de brigas. Quando eles faziam as pazes Steve inventava
mentiras para esconder uma série de casos extra-conjugais.
Steve:
Era como se pisássemos em ovos todo o tempo. Você nunca sabe o que
vai ser dito ou de que tipo de buraco você vai ter que sair. Viver
uma vida dupla dessa maneira é complicado. Chega uma hora quando a
linha que divide as duas se torna muito embaraçada, difícil de ser
notada. E as duas vidas começam a se misturar.
Clube 700:
Steve lembra de quando os problemas começaram. Ele falava ao
telefone com uma mulher com quem ele havia se envolvido.
Steve:
Era uma daquelas situações da qual eu não conseguia me livrar. Eu já
não conseguia mais mentir.
Laurie:
Eu estava arrasada. Durante duas semanas eu não tive forças para me
levantar da cama. Eu clamava a Deus dizendo: “Olha, eu não consigo
fazer o meu casamento dar certo e estou me sentindo desta maneira.
Não consigo nem mesmo ser uma boa mãe. Por favor, se for possível,
será que o Senhor pode tirar um pouco dessa dor?” E foi incrível
porque Ele tirou. A dor desapareceu. Eu perdoei o meu marido e nunca
toquei no assunto. E continuamos a nossa vida. Eu achei que daquele
momento em diante as coisas seriam maravilhosas.
Clube 700:
Mas elas não foram. Steve e Laurie passaram por sessões de
aconselhamento na igreja, e ele pediu perdão por tê-la traído.
Porém, ele não conseguia romper com o padrão de vida que levava e
continuava saindo com amigos, bebendo e se envolvendo em casos
extraconjugais um após outro.
Steve:
Eu achava que poderia ter as duas coisas. Após 17 anos, eu tinha
chegado a conclusão que eu era desse jeito, não tinha solução.
Clube 700:
Mas a vida dupla dele o alcançou. Quando as suas mentiras e
justificativas pararam de funcionar, Laurie descobriu que ele estava
tendo outro caso.
Laurie:
Eu fiquei com muita raiva de mim mesma por não ter visto antes, e
fiquei com raiva dele por fazer isto. Eu estava brava com Deus por
ter deixado isto acontecer. Não dava para descrever os sentimentos,
pois eu ainda o amava. Não dava para amá-lo um dia e no outro
simplesmente deixar de amar. Era como se o meu corpo estivesse sendo
invadido, roubado. Era como se eu estivesse com alguém que eu não
conhecia. Passava pela minha cabeça: “O que aconteceu com a pessoa
que está comigo durante todos esses anos?”.
Clube 700:
Quando a verd ade finalmente veio à tona, Laurie descobriu que este
caso e o outro caso do qual ela sabia eram apenas dois de muitos que
Steve já teve.
Laurie:
Eu não conseguia entender como ele poderia fazer algo assim conosco.
A nossa família estava arrasada. Já não existia mais esperança a
partir desse momento. Então, nós nos separamos e Steve saiu de casa.
Ele começou a desmoronar, e este foi o início do fim para ele.
Clube 700:
Uma vizinha aconselhou Laurie a abrir o coração a um pastor que
estava disposto a ajudar, afim de que o casal tentasse novamente. Se
não fosse por ela, Laurie e Steve estariam divorciados.
Steve:
Eu pensava: “Ajuda? Você só pode estar brincando comigo! Eu não
acredito que você aceite isso”.
Clube 700:
Foi uma jornada difícil para sair do buraco que o Steve tinha
cavado. Mas o casal decidiu fazer esta jornada. Para Laurie, a chave
para a restauração era o perdão.
Laurie:
Humanamente falando é impossível perdoar. Mas eu falei para Deus:
“Estou disposta a perdoar. Você precisa me ajudar. Você precisa
fazer esta obra em mim”.
Clube 700:
Steve precisava render-se a Deus.

Steve:
Eu nunca tinha rendido todo o meu ser para servir ao Senhor ou para
 ver o que Ele poderia fazer. Para mim, Ele sempre era o Deus de
outra pessoa.
Eu nunca vou me esquecer quando o homem disse:
Queremos orar por você”. Então fiquei em pé e eles oraram por mim.
Na mesma hora caí de joelhos e não me importei com mais nada. E
disse: “Eu não me importo com o que possa acontecer com a minha
carreira, com os meus amigos, ou com o que os outros vão pensar de
mim”. Eu não me importava mais. Eu queria esta liberdade da qual
eles estavam falando e eu queria a minha esposa.
Steve:
Eu li em Efésios 5:25 onde Deus diz: “Marido, amai vossa mulher,
como também Cristo amou a igreja”. Nem sabia o que era isso, e disse
a Deu s: “Você está pedindo para eu fazer algo que eu nem mesmo sei o
que é: amar minha esposa como Tu amas a igreja
? Eu nem sei quem Tu
és”, e Deus respondeu: “Bom, eu vou te mostrar”.


Esse foi o início
de um processo de morrer para quem eu era e ver uma nova pessoa
nascendo, uma nova forma de pensar, uma nova maneira de me comunicar
com minha esposa. E todos os dias, o Senhor me ensinava o que
significava amar minha esposa de verdade, servi-la verdadeiramente,
servir aos outros.
E, através disso, a pessoa que eu era, que ainda
estava tentando sobreviver, estava sendo morto. Estava escolhendo a
vida, escolhendo a Cristo, a minha família acima daquela outra vida
e eu comecei a muda


Comecei a me sentir livre pela primeira vez na
vida. Mas a restauração do nosso casamento não aconteceu da noite
para o dia.



Laurie:
Choramos muito. Acho que choramos dois anos direto, todos os dias.
Sim, conversamos muito, fizemos muitas perguntas, sabe, gastamos
muito tempo buscando a Deus, orando, e chorando mais um pouco. Houve
momentos quando pensei: “O que será que estamos fazendo?”.



Lembro-me que um ano e meio depois disto, eu disse: “Quer saber de
uma coisa?
Eu não vou te culpar se você for embora. Pois acho que as
coisas não vão melhorar muito, não deve passar disto.


Há uma tristeza muito profunda escondida.


E se temos momentos bons e rimos,
a tristeza está sempre está lá”.


Eu não confiava em Deus o suficiente e não tinha fé de que Ele pudesse restaurar isto.


Mas o
Steve tinha.
Steve:
Deus me deu uma promessa de que se eu mudasse, se eu o buscasse, Ele
nos salvaria.
Laurie:
Acho que levei uns 5 anos, e quando renovamos os nossos votos foi
quando eu finalmente disse que eu confiava nele.
Steve:
Ela olhou dentro dos meus olhos e disse, na frente de todo mundo:
Eu te perdôo”.


Lembro-me que após a cerimônia de casamento a Laurie
me disse: “Sabe de uma coisa?



Você faz de mim a mulher mais feliz do
mundo! E eu disse: “Sabe de uma coisa? Eu não terminei ainda. Sinto
como se vinte anos tivessem sido roubados de mim e tenho muito mais
para dar”.



Clube 700:
Hoje, Steve e Laurie sabem quais são as suas prioridades, e em
troca, eles possuem um casamento saudável.

Steve:
Eu peço para a Laurie: “Não coloque a sua fé ou confiança em mim,
coloque no meu relacionamento com Deus. Ele e eu nos aproximando
mais e mais.


É neste relacionamento que ela encontra confiança e
fidelidade. Eu nunca imaginei que pudesse mudar sozinho. E eu não
mudei. Toda confiança que eu tenho agora está em meu relacionamento
com o Senhor e naqui lo que Ele tem feito por mim e por minha
família. Isto é muito mais do que nós podemos imaginar para este
relacionamento e para um casamento.
Laurie:
Não existe casamento que não possa receber a ajuda de Deus. Não
existe casamento que não possa ser restaurado
.


Não há nada que Deus
não possa fazer. Nada, realmente nada é impossível para Deus.

Um comentário:

  1. Me emocionei muito, diante desta maravilhosa restauração. Deus sela louvado.

    ResponderExcluir